quinta-feira, 24 de setembro de 2009

...À minha Amanda...





As escadas... Eu ainda escuto os passos... Desço as escadas lentamente e lembro-me de cada momento... Fecho meus olhos, cerro meus lábios, e... Respiro profundamente... Angústia... Saudades...
 ***
Lembro-me das tuas tagarelices nas tardes de domingo, ou dos teus desatinos ao sonhar alto... Ou quando toda manhã me acordava para o café com voz tão suave... Teus dedos deslizavam em meus cabelos... Pronunciava... --- ah! Porque me martirizo com tamanha lembrança! --- te amo... Por que ainda te amo... Por quê... Minha vida seria melhor em ter você por perto --- ou quando às vezes tínhamos discussões tão pueris... --- o quê mais acontecerá comigo! --- sinto falta de teus abraços a me receber; eu ainda os sinto, fortes, calorosos... Amadureci junto contigo, aprendi a Amar de forma incondicional; Amor tal, que não cabe em mim e transborda em fonte... Jamais te esquecerei... Nem o brilho em teus olhos--- marcam, ainda, minhas lembranças--- nem teus carinhos em meus momentos de tristeza, nem tua voz--minha alegria roubada--- que alegrava esta casa, hoje tão triste e sem vida; dói-me não mais ouvir teus passos ao subir estas escadas e pronunciar... Papai!...
*************************************************
                Ouço um estampido que vinha do escritório... Marta vai à frente, já apreensiva... Estávamos aflitos, Marta... Chorosa... Empurra a porta do escritório... Entramos... Viriato! Grita Marta, não...não.......Não! Viriato!... Por que meu amor, Por que... ---- corri de encontro a meu irmão, estendido naquele tapete, vermelho, já não mais pulsava... Meu peito apertou----Marta, minha cunhada, estava inconsolável... Vê-lo naquele estado... Estendido... Chão... Choro. Sobre a mesa uma Carta...
                 ***
                Eu ainda guardo àquela Carta de meu irmão como memória de seus últimos instantes... Suicidou-se, simplesmente se suicidou, não suportou a perda da filha... Morreu três dias depois do assassinato de Amanda... No cabeçalho da Carta dizia... À minha Filha Amanda, minha vida........................................................Adeus!
               
               






2 comentários:

Éris #)~ disse...

Você sabe que esses textos me deixam de coração apertado, e por um motivo bem simples... Quanto mais perto do real, melhor. Quero escrever que nem você quando eu crescer, maninho! #)~

Louyse disse...

.........sem palavras






o texto é muito bom....mas tinha que me deixar angustiadda......com o coração na mão.......

 
Creative Commons License
This obra by Hórus is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at umcontadordehistoria.blogspot.com BlogBlogs.Com.Br